Nome da Doença: Menstruação difícil e dolorida ; DISMENORRÉIA
 
 
Tratamento: Segundo Dirceu: Losna (Arthemisia absinthum), ver dados da planta; planta bem específica: Poejo (Mentha polegium); cólicas menstruais: Laranjinha-do-mato e Gordinha (ver dados das plantas).
 
 
Sintomas: 1/8/2007 Menstruação Dolorosa ou Dismenorréia Toda menstruação é acompanhada de contrações uterinas, mas em alguns casos estas contrações produzem cólicas intensas, às vezes incapacitantes. Ao quadro de fluxo menstrual acompanhado de cólicas os médicos dão o nome de Dismenorréia ("menstruação difícil"). Cerca de 90% das mulheres já apresentaram pelo menos um episódio dismenorréia. Este distúrbio é a causa mais comum de falta ao trabalho e/ou escola entre mulheres jovens. Infelizmente, em muitos casos, o problema não é diagnosticado e tratado adequadamente. Na verdade, o distúrbio é tão comum que muitas mulheres sequer relatam o distúrbio em suas consultas periódicas, mesmo quando há prejuízo das atividades habituais. O que causa a Dismenorréia? A Dismenorréia pode ser Primária (causada por alterações hormonais) ou Secundária (causada por distúrbios como endometriose, doença inflamatória pélvica, miomas uterinos, cistos ovarianos, uso de DIU e, raramente, câncer). Vários fatores de risco podem ser associados a episódios mais intensos de dismenorréia: primeira menstruação com pouca idade, períodos menstruais prolongados, tabagismo, obesidade e alcoolismo. Até o momento, não existem evidências de que mulheres com filhos apresentam uma incidência menor ou crises de dismenorréia menos intensas que aquelas que nunca engravidaram. Como é feito o diagnóstico ? A dismenorréia primária em geral se apresenta ainda na adolescência, nos primeiros 3 anos após o início dos ciclos. As cólicas intermitentes na porção inferior do abdome são a manifestação mais comum e podem irradiar para a região lombar e membros inferiores. Em geral surgem nas primeiras horas do início da menstruação, piorando à medida em que o fluxo menstrual aumenta durante os dois primeiros dias do ciclo. Náuseas, vômitos, diarréia, fadiga, febre, dor nos seios (mastalgia) e dor de cabeça também podem ocorrer. O médico pode estabelecer o diagnóstico apenas realizando um bom exame clínico / ginecológico da paciente, mas é importante considerar sempre a possibilidade de causas secundárias para a dismenorréia e outros distúrbios capazes de produzir os mesmos sintomas. Por exemplo, ao contrário da dismenorréia primária, na endometriose freqüentemente existe queixa de dor crônica durante a relação sexual, alterações urinárias e infertilidade. Exames de sangue, ultra-sonografia pélvica, tomografia computadorizada, ressonância magnética, histeroscopia e laparoscopia podem ser utilizados criteriosamente para identificar causas secundárias. Existe tratamento para Dismenorréia ? A maioria das mulheres com dismenorréia apresenta uma boa melhora com uso de Antiinflamatórios Não-Hormonais (p.ex.: diclofenaco, meloxicam, ácido mefenâmico, nimesulide, ibuprofeno, ácido acetil salicílico, etc). A resposta ocorre 30-60 minutos após administração do medicamento. A maioria das mulheres com dismenorréia primária relata alívio dos sintomas após iniciar o uso de anticoncepcionais orais, mas em geral são necessários até 3 ciclos para que seja observada alguma diminuição na dor, o que não torna a Pílula muito útil para tratar os casos agudos. Cerca de 10% das mulheres não responde ao tratamento com antiinflamatórios e ao uso de hormônios por via oral. Nestes casos, é importante considerar a possibilidade de Dismenorréia Secundária. Em todos os casos, a avaliação médica é imprescindível. Outras dicas úteis para aliviar a menstruação dolorosa incluem: o Beba um copo de chá quente (mate ou camomila) o Deite de costas e coloque um travesseiro apoiando a parte de trás dos joelhos o Faça compressas mornas na região lombar e no abdome o Tome um banho morno o Massageie delicadamente o abdome o Faça exercícios leves, como alongamentos ou caminhadas (eles ajudam a diminuir a dor). o Repouse e evite se expor a situações estressantes durante as menstruações Referências Bibliográficas Selecionadas 1. Doty E, Attaran M. Managing primary dysmenorrhea. J Pediatr Adolesc Gynecol. 2006 Oct;19(5):341-4. 2. Proctor ML, Farquhar CM. Dysmenorrhoea. Clin Evid. 2006 Jun;(15):2429-48. 3. O. Connell K, Davis AR, Westhoff C. Self-treatment patterns among adolescent girls with dysmenorrhea. J Pediatr Adolesc Gynecol. 2006 Aug;19(4):285-9. 4. Jia W, Wang X, Xu D, Zhao A, Zhang Y. Common traditional Chinese medicinal herbs for dysmenorrhea. Phytother Res. 2006 Oct;20(10):819-24.
 
 
Dieta e Recomendações:
 

Página Anterior
Versão p/ Impressão