Nome comum: Quistos recentes dos ovários
 
 
Plantas Relacionadas na Literatura : Tangerina, .
 
 
Sintomas e Causas : Quistos dos ovários Um quisto não é mais do que uma estrutura com um conteúdo predominantemente líquido. Pode desenvolver-se a partir da estrutura base dos ovários. Estes sofrem alterações estruturais cíclicas que acompanham o ciclo menstrual das mulheres. Destas alterações estruturais, destaca-se que em cada ciclo menstrual os ovários desenvolvem, sob a acção das hormonas gonoadotróficas libertadas pelos ovários, folículos e que apenas um dos folículos atinge o estado de maturação e se rompe para libertação da célula sexual feminina – óvulo – que, nas trompas, vai ser fertilizado pelo espermatozóide para originar o ovo ou zigoto. Caso ocorram alterações no controlo de crescimento dos folículos, podem aumentar de volume e originar quistos. Quais as causas As causas, na maior parte dos quistos dos ovários, não estão bem esclarecidas. Pensa-se que a ocorrência de incoordenação dos mecanismos hormonais possa precipitar alterações no crescimento das células dos ovários. A FSH (hormona foliculoestimulante) é a hormona gonadotrófica libertada pela hipófise que estimula o desenvolvimento e crescimento dos folículos. À medida que os folículos crescem, produzem estrogénios que, por sua vez, têm um efeito inibitório na produção hipofisária da FSH (efeito de retro inibição). A LH é a hormona gonadotrófica libertada pela hipófise, e induz a maturação e rotura do folículo dominante, levando à libertação do óvulo – ovulação. Apenas um dos ovários é que liberta um óvulo e este fenómeno alterna-se com o outro ovário no ciclo menstrual seguinte. Portanto, qualquer alteração na regulação dos factores hormonais pode facilitar alterações no crescimento dos folículos. Quais os sintomas Podem ser assintomáticos e apenas detectados por acaso numa ecografia ginecológica de rotina. Os quistos dos ovários são sintomáticos quando atingem grandes dimensões, quando sofrem torção ou hemorragia interior ou, ainda, quando sofrem rotura libertando o seu conteúdo na cavidade abdominal. Originam dor abdominal localizada inicialmente na região pélvica (baixo ventre), podendo depois ser generalizada no abdómen (reacção peritoneal). Podem manifestar-se por irregularidades menstruais – menstruações frequentes ou mesmo ausência de menstruação. Quando atinge grandes dimensões podem comprimir as estruturas circunjacentes e originar massas palpáveis. Como se diagnostica O diagnóstico, muitas vezes, é feito por mero acaso aquando da realização duma ecografia ginecológica. Perante os sintomas acima referidos e após um exame ginecológico, podem ser encontrados elementos que nos levam à suspeita dum quisto do ovário. A ecografia ginecológica endovaginal é um elemento fundamental no diagnóstico; permite confirmar a presença do quisto, e a partir dos elementos recolhidos da ecografia podemos ter uma ideia da benignidade e malignidade do quisto. A presença dum quisto isolado, com contornos bem definidos, sem septos no interior, de parede fina e de conteúdo predominantemente líquido (anecogénico) são aspectos favoráveis de benignidade. Quistos múltiplos, de conteúdo sólido, heterogéneo, de contornos irregulares de parede espessa e septos no interior são quistos provavelmente malignos.O doseamento no sangue dum marcador tumoral também é muito importante para distinguir entre a benignidade e malignidade - CA 125. Como se desenvolve A evolução dum quisto do ovário é variável. Caso se trate de um quisto de dimensões reduzidas (inferior a 5 cm), com características de benignidade, muito provavelmente involui (desaparece) espontaneamente. Deve ser reavaliado ao fim de 3 meses por ecografia. Quistos de maiores dimensões tendem também a evoluir espontaneamente; é muito importante confirmar a sua benignidade. Na presença de aspectos ecográficos sugestivos de malignidade e sobretudo se os valores do CA 125 forem altos, o quisto deve ser rapidamente removido. Formas de tratamento Depende das dimensões dos quistos, da sua unilateralidade, do seu conteúdo e das suas características ecográficas e, ainda, dos valores do CA 125. Como já vimos atrás pode haver uma atitude expectante ou de vigilância caso se trate dum quisto benigno. Podem ser operados se atingirem dimensões muito grandes a ponto de provocarem dor, rotura , hemorragias ou torção. Na presença de quistos pequenos e persistentes (ovários multifoliculares), a utilização de contraceptivos orais (pílulas) pode facilitar o controlo da actividade dos ovários e, consequentemente, levar à diminuição dos quistos. Recomenda-se uma pílula monofásica em que todos os comprimidos são iguais. As pílulas multifásicas – trifásicas ou bifásicas – podem precipitar o aparecimento de ovários multifoliculares. Formas de prevenção Vigilância regular em consulta de Ginecologia. Outras designações Massa anexial, ovários multiquísticos, ovários multifoliculares. Quando consultar o médico especialista Deve consultar um Ginecologista, na presença de quistos persistentes. Pessoas mais predispostas Adolescentes e mulheres que tomam pílulas multifásicas. Outros Aspectos Os quistos dos ovários podem ser provocados pela medicação – quistos iatrogénicos. A utilização de medicamentos de indução da ovulação podem originar uma hiper estimulação dos ovários com a presença de múltiplos quistos de grandes dimensões; daí que na indução da ovulação, é muito importante que esta medicação seja controlada regularmente com ecografia. Fonte: Viva Saudável Online
 
 
Tratamentos Propostos : A literatura indica a PLANTA TANGERINA,e, proceder segundo o tratamento de tumores. Ver dados da planta neste site.A tangerina tem magnésio e, o magnésio tonifica articulações e músculos. A tangerina beneficia intestinos e sistema nervoso. É recomendada contra infecções, neurite, fibromas e quistos recentes. Tangerina (Citrus nobilis), também chamada de laranja-cravo (RJ), mexerica (MG), bergamota (RS), mandarino (SP) é usada para consumo na sua forma natural como suco, sorvete e doce. É mais freqüente de maio a agosto e o tipo mais nutritivo é exatamente aquela tangerina de aspecto arredondado, de casca espessa e vermelha, facilmente removível, fornecendo suco nutritivo abundante, doce e ácido. O exemplo da tangerina prova mais uma vez que é na casca onde está concentrada a usina de saúde da fruta, apresentando neste caso comparativamente em relação ao seu suco percentagens muito maiores de vitamina A (700%), vitamina B1 (170%), riboflavina (220%), niacina (180%), vitamina C (290%), cálcio (800%), fósforo (140%) e ferro (400%). Dissolve coágulo Além do conteúdo importante em cálcio, fósforo, vitamina C, a grande marca da tangerina é de ser grande fonte de magnésio para o homem. O ser adulto contém aproximadamente de 20 a 28 gramas de magnésio, cerca de 60% localizados nos ossos, 26% nos músculos e o resto espalhado pelos tecidos moles e células. O magnésio encontrado na tangerina é importante na síntese das proteínas, contratilidade muscular, excitabilidade dos nervos, além de ser cofator essencial em vários sistemas enzimáticos. Ajuda ainda a controlar a temperatura do corpo, além de possuir ação antiarteriosclerótica, pois intervém favoravelmente no metabolismo lipídico e nos mecanismos de formação e dissolução do coágulo sangüíneo. Cálculos renais Sabe-se que dietas ricas em ameixa, arroz integral, azeitona, aveia, batata, banana crua, beterraba, castanha, cereja, cevada, coco, couve, espinafre, laranja, pêra, trigo, germe de trigo) são parcialmente efetivas na prevenção de cálculos renais de oxalato de cálcio. A grande aplicação do magnésio encontrado na tangerina se faz medicamente naquelas situações onde é freqüente a deficiência deste mineral como em vômitos persistentes, diarréia crônica, má absorção intestinal, alcoolismo e no uso prolongado de diuréticos mercuriais. Escudando a saúde do homem, tangerina é fruta revolucionária, curando e prevenindo doenças, além de fornecer elementos minerais e vitamínicos necessários à movimentação da máquina metabólica. Magnésio e tireóide Sabe-se que o hipertireoidismo tóxico (tireotoxicose) está associado a deficiência de magnésio sangüíneo (hipomagnesemia) paralelamente acoplado a balanço negativo deste mineral no corpo. O hormônio tireoidiano tem ação estimuladora no transporte celular do magnésio. Graças a seu elevado conteúdo em vitaminas e sais minerais, o uso de tangerina torna-se valioso coadjuvante no tratamento de diversos problemas de saúde. Alguns dos mais comuns são citados a seguir. Cálculos renais. O ácido cítrico pode proteger os rins contra a formação de cálculos renais. Asma. Novamente a vitamina C é poderoso agente anti-inflamatório. Sua atividade pode diminuir a incidência dos sintomas da asma. Amplos estudos têm demonstrado que crianças com asma melhoram significativamente os sintomas da doença quando ingerem elevadas porções de frutas ricas em vitamina C. Aterosclerose. Aqui, são as fibras que exercem a boa influência sobre doenças coronarianas. O nível de colesterol é reduzido o que protege o organismo contra a aterosclerose. Bronquite. A dieta elevada em antioxidantes pode proteger o corpo dos danosos efeitos das toxinas do ambiente ou da fumaça de cigarro. Estudos comparativos de diferentes populações têm mostrado que o elevado consumo de frutas pode reduzir o risco do desenvolvimento de bronquite crônica. Câncer. O amplo consumo de frutas reduz os riscos de câncer na próstata. Um estudo realizado com câncer do seio demonstrou que o alto consumo de frutas esteve associado com a redução de 6% na incidência de câncer do seio. Muitos médicos recomendam às pessoas interessadas na redução dos riscos de câncer o consumo de várias porções de frutas e vegetais diariamente. Fragilidade capilar. Incluir frutas no cardápio providencia os nutrientes necessários ao apoio da estrutura do cabelo. Doenças cardiovasculares. Uma dieta abundante no consumo de frutas parece proteger contra doenças do coração. O número total de mortes provocadas por doenças cardiovasculares foi significativamente menor entre homens com elevador consumo de frutas em estudos preliminares. Um amplo estudo descobriu que homens que consumiam dieta prudente ( muitas frutas, legumes, vegetais, grãos integrais e peixe) tiveram 30% menos riscos de ataques do coração quando comparados a homens que consumiam menos produtos da chamada categoria prudente. Estudo paralelo com mulheres mostrou redução de 15% em riscos cardiovasculares quando consumiam mais frutas e vegetais em comparação ao efeito de uma dieta com menos frutas e vegetais. Diabetes. Consumir carboidratos contidos em alimentos, inclusive algumas frutas, eleva temporariamente os níveis de açúcar e insulina no sangue. Por outro lado, uma dieta rica em fibras solúveis encontradas em frutas pode reduzir o risco de diabetes tipo 2, apesar das altas quantidades de carboidratos contidos nas frutas. Hipertensão. Como ocorre com drogas convencionais, o uso de substâncias naturais por vezes controla a pressão sangüínea quando tomadas de modo adequado, embora não produzam a cura da hipertensão. Assim, controle permanente deve ser exercido para que a pressão se mantenha em níveis saudáveis, evitando problemas decorrentes, como riscos de coágulos e doenças cardíacas. TPM. Vários estudos sugerem que uma dieta reduzida em gorduras e rica em fibras podem ajudar a reduzir os sintomas da TPM. Muitos médicos recomendam dietas muito baixas em carne e produtos da fazenda ricos em gorduras e o consumo de muita fruta, vegetais e grãos integrais Fonte: Vida Integral
 
 
Dieta e Cuidados Recomendados :
 
 
Terapias Auxiliares e Observações Farmacêuticas:
Página Anterior
Versão p/ Impressão